quarta-feira, 20 de junho de 2007

Questionário

Agradeço (ou não ;)) ao caro amigo Shinobi o desafio para participar nesta corrente cinéfila.

O que é para ti um MAU filme?

Responder a esta questão não é fácil uma vez que, conforme o género, a definição de mau filme pode e deve variar. Um drama que não emociona, um filme de terror que não assusta ou um filme histórico que não empolga podem facilmente caber nesta categoria. Mas essencialmente, e este argumento é válido para qualquer género, considero maus filmes todos aqueles que alimentam a mediocridade de ideias, todos aqueles que se divorciam do conceito de arte e cedem aos mais puros conceitos comerciais e, mais importante que tudo, que não despertam qualquer tipo de emoção.

Remakes ou sequelas: Havendo apenas estas duas escolhas sem opção de recusa, qual assistirias?

Não posso dizer depende? Há "remakes" absolutamente fenomenais (Departed é um exemplo recente dum bom "remake") e dentro desta categoria, há abordagens diferentes, ou seja, as que simplesmente actualizam um filme ou as que reinventam uma ideia presente no filme original. Também há sequelas muito bem conseguidas (Godfather é um bom exemplo) e distingo, dentro desta categoria, as que inovam ou as que apenas utilizam a boleia comercial do primeiro filme. Se tivesse que escolher diria que há mais bons exemplos de "remakes" do que de "sequelas" mas aviso, desde já, que nunca abdicaria, se fosse o dono dum estúdio, de dar carta branca a certos realizadores para fazerem sequelas. Ainda olho com nostalgia o tempo em que os realizadores tinham mais controlo criativo sobre os filmes (década de 70 e início da de 80).

Que tipo de filme português gostarias de ir ver ao cinema?

Antes de mais a questão do financiamento tem que mudar radicalmente. Tem que haver mais apetência ao risco por parte do investimento privado e menos controlo por parte de comissões sobre que filmes podem ser feitos em Portugal. Realizadores de enorme talento como Marco Martins e João Canijo têm imensas dificuldades em filmar. Posto isto gostaria que o cinema português aproveitasse o imenso espólio literário que o país possui e apostasse em argumentos adaptados inspirados nesse espólio. Sem excesso de formalismo, sem excesso de teatralismo e conjugando o cinema de autor com as expectativas do público. Tenho, adicionalmente, um sonho antigo, concretizando, ver a cidade do Porto como cenário dum bom filme de terror, ou alguém duvida que o cinzentismo da cidade, as suas ruas estreitas, as suas arcadas sombrias e o seu clima londrino dariam um excelente cenário para um filme de terror?

Que cliché cinematográfico já não tens pachorra para ver novamente?

Como diria a personagem de Kathy Bates em Misery estou farto que me tratem por estúpido no cinema e quando alguém é empurrado para um precipício devia ser proibido haver um pequeno arbusto que salve o protagonista.

Qual o teu fan video preferido?

Não tenho.

A quem desafias este questionário?

Inominável

Espaço Cinzento

Devaneios Desintéricos (por vingança por outro desafio ;))

2 comentários:

Shinobi disse...

Eh, eh, eh! Excelentes respostas, gostei bastante! De facto o cliche do arbusto tá demais e é inteiramente verdade!!!

Abraço

Ricardo disse...

Caro Jorge,

Hora curiosa para fazer um comentário, ;).

Obrigado pelo desafio. Tenho que acrescentar que é sempre um prazer discutir cinema contigo porque é raro encontrar pessoas que amam o cinema pela sua essência, e tenho a certeza que, nesta área, a nossa escrita vai tornar-se cada vez mais interactiva.

Um grande abraço,